sábado, 24 de janeiro de 2009

Revoluções Por Minuto ou simplesmente: RPM!

Eu tinha 5 anos e, como disse em outra ocasião, já nessa época era muito influenciada pelos gostos musicais da minha irmã e também da geração, claro.

Apesar da pouca idade fui completamente contaminada pela "febre" do RPM, banda brasileira de maior sucesso nos Anos 80.
É claro que quem comprava as fitas e discos era a minha irmã, mas o som do rock me agradava. Eu adorava, aliás! E é CLARO que não não gostava do grupo por causa do Paulo Ricardo, que era considerado um sex symbol. Era pequena demais, né? rs Realmente ficava doida pra dançar quando ouvia o som do teclado eletrônico do Luis Schiavon! Era impossível ficar parada!

Lembro bem do meu aniversário de 5 anos lá em casa (tema dos Ursinhos Carinhosos..rs) e eu chamei uma coleguinha e minha irmã chamou também as suas melhores amigas.

Na festa só deu RPM! Meu pai filmou esse aniversário, que guardo bem na memória - principalmente um dos momentos: eu com um pirulito na mão, olhando para a câmera e dançando sem parar ao som de "Revoluções por Minuto"! Ah, é claro que não posso esquecer do figurino da minha irmã: uma blusa inteirinha de paetê azul!!! Última moda! rs

Bom, neste post coloquei um pouco da história do RPM e todo o Globo Repórter de 1986 sobre o sucesso do RPM. Ah, antes que falem da minha "memória de elefante", SIM eu lembro deste programa. Meu pai até gravou para que eu e minha irmã pudéssemos assistir depois. Passou tarde demais e a gente acordava muito cedo...rs

Beijos com saudades desse tempo BOM!




---> Revoluções por Minuto (também conhecida somente por RPM) era um grupo de rock brasileiro surgido em 1985, tendo sido um dos mais populares do país nos anos de 1986 e 1987. Foi um dos grupos mais bem sucedidos da história da música brasileira. Na segunda metade dos Anos 80 conseguiram bater todos os recordes de vendagens da industria fonográfica brasileira.
As primeiras canções de sucesso foram "Olhar 43", "A Cruz e A Espada" e a música que batizara a banda que ali nascia: "Revoluções por Minuto".


1985: Revoluções por Minuto
No mês de maio chega às lojas Revoluções Por Minuto, no vácuo de um país ainda perplexo com a morte de Tancredo Neves. O misto de paixão platônica e pretensa declaração de amor de "Olhar 43" emplaca nas rádios e abre caminho para que outras faixas, mais politizadas e/ou conceituais, façam o mesmo. As faixas do disco tratam também de temas como política internacional e transformações sócio-econômicas. Um elemento estranho são os climas soturnos dos arranjos de Luiz Schiavon. O sucesso do álbum é tanto que o RPM emplaca rapidamente uma sequência de hits no rádio (oito entre as onze faixas do álbum) e chega à marca de 100.000 LP's vendidos (disco de ouro). Revoluções por Minuto chegou a vender 300 mil cópias.

1986: Rádio Pirata Ao Vivo
Logo depois dos primeiros shows de divulgação, o RPM fecha contrato com o megaempresário Manoel Poladian que procurava uma banda em ascensão no rock brasileiro para o seu elenco de artistas platinados de MPB. Os costumeiros palcos das danceterias são trocados por uma megaprodução, com direito a Ney Matogrosso assinando luz e direção, canhões de raio laser e multidões espremidas em ginásios e estádios. A esta altura, Paulo Ricardo já é sex symbol: estampa diversas capas de revistas e enloquece garotas histéricas.
Sem “futuros hits” na manga e para manter a banda em alta, Poladian, músicos e gravadora lançam em julho de 1986, um novo álbum, com parte do registro de dois shows da histórica turnê. O repertório de Rádio Pirata Ao Vivo traz quatro gravações inéditas (sendo duas covers) e cinco faixas de Revoluções Por Minuto. As vendas de Rádio Pirata Ao Vivo disparam e chegam a 2,2 milhões. O RPM transforma-se na banda de maior vendedagem da indústria fonográfica nacional até então.
As coisas ficaram tensas, no entanto, quando Paulo Ricardo passou a ser conhecido apenas como "sex symbol" e começou a ser procurado e visto por jornalistas e fãs como se fosse modelo e não músico.

1987: A primeira Separação
Mesmo com todo o sucesso no Brasil e em outros países, o RPM que, em 1986, havia se tornado até álbum de figurinhas, passava por uma situação difícil com muitos prejuízos. O fracasso do projeto RPM Discos, um selo próprio do grupo, acabou causando conflitos entre seus integrantes. Ainda em 1987 chegaram a anunciar a separação oficial do grupo.


RPM Globo Repórter 1986 parte 1


RPM Globo Repórter 1986 parte 2


RPM Globo Repórter 1986 parte 3


RPM Globo Repórter 1986 parte 4


RPM Globo Repórter 1986 parte 5

9 comentários:

  1. Ih! Eu ia procurar isso, mas vc entregou de bandeja, hein? Valeu!
    Eu tinha 11 anos quando o disco foi lançado. Acho que foi o primeiro disco que eu quis comprar ou pedi pra ganhar. Acabei ganhando de Natal. Naquele Natal, ganhei os 3 LPs que pedi: esse, o Selvagem? (do Paralamas) e Rita & Roberto (o que tem a música Vírus do Amor). Daí em diante, minha discoteca não parou mais de crescer. Quer dizer: parou de crescer com o advento do mp3.
    Eu adorava esse disco do RPM, como todo mundo, mas enjoei anos depois.
    Bjs!
    Alex

    ResponderExcluir
  2. eu me amaro em rpm estou crescendo é vou morre ouvindo os kras!! é do cramba

    ResponderExcluir
  3. Legal, bom ver gente jovem valorizando uma época de ouro. realmente quem não curtiu RPM nos aanos 80.`Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  4. RPM é a melhor banda de todos os tempos.
    Pena que alguns brasileiros sem amor próprio
    deixe de valorizar o que esse país tem de melhor,para idolatrar muito lixo que vem do exterior.
    Se o vocalista do Rolling Stones ouvisse RPM iria se sentir humilhado,porque banda de rock melhor que RPM em termos de sonoridade,não existe.
    Só quem viveu a década de 80 e curtiu essa banda,sabe o que estou dizendo.

    Ass: Roze.

    ResponderExcluir
  5. acho que esta havendo um equivoco nos comentários,
    segundo a informação do jornalista Arthur dapieri
    quem foi um marco foi richt. com o disco voo do coração
    passando em recordes de vendas ate mesmo do rei roberto carlos
    o rpm pegou carona no disco do richt.
    quem sabe disto sabe que eu estou falando a verdade
    a banda rpm finalizou em 1989 com a cobertura
    exclusiva da emissora tvs hoje conhecida como sbt não em 1987...

    ResponderExcluir
  6. Olha, surpresa, coincidência, se é que existe. sou jornalista também e gosto dos anos 80, vivi nele, mais uma vez surpresa, vc jovem gostando dessa época tão importante no sentido cultural, musical, parabéns. Vamos manter contato? Abraço! tudo de Bom!
    @wejornalista
    weamolive@gmail.com
    31 9358-2842

    ResponderExcluir
  7. Agora, ma dúvida, porque não consigo os vídeos com RPM no Globo Repórter, alguém retirou? No seu blog também não há mais!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eita, eu era uma pré adolescente quando meu irmão + velho pediu um LP emprestado de um ex-namorado da irmã de um vizinho , tocou muito lá em casa e eu me apaixonei... Vale lembrar q ele nunca devolveu e q tinha uma parte que enganxava...Hihihihi...

    ResponderExcluir
  9. Consegui achar a reportagem do RPM de 1986. Postei no youtube: weamolivevideos
    Vejam, enquanto é possível.
    Obrigado.

    ResponderExcluir